A cena musical do RAP

– O RAP como manifestação cultural e artística. Voz das periferias –

         O RAP é sigla em inglês para Rythm and Poetry. A cena musical do RAP se desenvolve, em cada sociedade, a partir de críticas a determinados comportamentos sociais.

         Preconceito racial, preconceito social, preconceito de gênero. Pautas recorrentes no estilo, tanto no Brasil como em outras partes do mundo.

         O estilo adota, muitas vezes, um viés agressivo. Uma forma de demonstrar o quanto a questão afeta e oprime aquele segmento da população. O RAP é, antes de tudo, uma linguagem de protesto. Sua poesia é, essencialmente, de contestação.

 

 

         No Brasil, a cena musical do RAP é muito rica e diversificada, se tornou, aqui, a voz das periferias. Tanto em um sentido: de levar a informação da sociedade para os desassistidos; como para levar a informação no sentido contrário, para o restante da sociedade.

         Mano Brown, líder dos Racionais Mc’s, ao escrever Diário de um Detento, escreveu um inacreditável retrato sociológico, ignorado por uma grande parcela da população. Sua música trouxe conhecimento concreto sobre a dura realidade carcerária no Brasil.

 

 

         Esta cena musical possui tantos outros expoentes, como por exemplo: Projota, Emicida, Rael da Rima, Karol Conka, Gabriel o Pensador. São artistas que usam a sua voz para fazer um retrato social o qual busca ampliar a visibilidade social. Ampliar o “visível” na sociedade. Mostrar o que muitas vezes é ocultado.

 

         E este é, essencialmente, o papel da música e da arte. Estabelecer uma comunicação que extrapole os sentidos. A percepção de uma dada realidade ganha em intensidade e profundidade, a partir da arte, é uma das muitas formas artísticas de expressar valores e consciência.

 

By | 2020-11-12T09:51:26-03:00 novembro 12th, 2020|Música|0 Comentários

Sobre o Autor:

Deixar Um Comentário