O Entretenimento Adaptado

– como se divertir em meio ao caos dos tempos atuais –

         A pandemia nos impactou enormemente. Mudou nossos hábitos e rotinas. Mas o aspecto positivo é que nos forçou a lançar um novo olhar sobre a realidade. 

         Do dia para a noite, os principais meios de entretenimento deixaram de estar disponíveis: o cinema, o teatro, os restaurantes, os bares, os shows, as festas particulares, os eventos corporativos. Um novo mantra surgiu: é preciso haver distanciamento, necessário evitar a aglomeração. Por isso o entretenimento adaptado.

 

 

O entretenimento adaptado

 

         Como entreter com estas novas demandas? Na forma como fazíamos, impossível: foi preciso recriar, reinventar. E é isto que vamos ver hoje: novas formas de entreter, se divertir, em meio à este contexto de pandemia.

        Entretenimento, enquanto a proximidade entre as pessoas ainda aumenta o risco de contaminação. A inovação não é somente bem vinda, é essencial e vital. 

 

 

O entretenimento adaptado

 

         Cinema drive in: é uma maneira de assistir filmes, de dentro do carro. Era comum nos anos 50 e 60. Com a pandemia, voltou a existir, pela segurança que oferece. Foi uma forma de compatibilizar a ida ao cinema às demandas por distanciamento social. O novo cine drive in possui regras, limitações: número máximo de quatro pessoas no carro, todos com máscara. Em havendo o interesse em consumir pipoca, doces, refrigerantes, basta acionar o pisca-alerta e uma garçonete irá ao seu encontro. Você aponta o celular para o QR Code do cardápio e paga por tecnologia de aproximação. O áudio do filme é sintonizado no rádio do carro. Entretenimento retrô.

 

 

O entretenimento adaptado

 

         Shows musicais no drive in: os shows musicais também passaram a acontecer em drive in. Com a peculiaridade de que, ao contrário de um cinema, em um show convencional, há uma grande expressão de interação do público com o artista: aplausos, ovacionações, gritos. Todas estas manifestações também existem em um show no drive in, mas adaptadas: pisca-se o farol, aciona-se a buzina.

 

 

         Lives musicais: as lives musicais foram as alternativas por meio das quais músicos, bandas fizeram apresentações. Uma verdadeira febre. No Brasil e no exterior, uma infinidade de lives aconteceram e acontecem. A peculiaridade aqui é fazer conviver a experiência intimista à expectativa do público de ver o artista nos mesmos moldes de um show convencional. Para os músicos, um grande desafio: o público não está fisicamente presente.

         A Toca da Villa produziu diversas lives de altíssima qualidade, com diversos artistas de nosso casting.

 

 

         Teatro virtual: os teatros também inovaram o seu formato. Disponibilizaram peças online, nos sites das companhias teatrais, e cobraram um preço para se ter acesso ao conteúdo. Há também  lives gratuitas. Os artistas também oferecem gravar mensagens em vídeos personalizadas, que custam um valor fixo, especificado nos sites. O cliente escolhe um personagem, escreve uma mensagem e um ator a grava.

 

 

O entretenimento adaptado

 

         Jogos online: o isolamento social e o aumento do tempo em que as pessoas passaram a ficar em casa, fez aumentar o consumo de jogos online, jogos em que a disputa acontece entre pessoas que se quer se conhecem.

By | 2020-10-22T14:32:35-02:00 outubro 22nd, 2020|Curiosidades|0 Comentários

Sobre o Autor:

Deixar Um Comentário